Pular para o conteúdo principal

Os Cantos da Casa

Existe uma presença nos cantos da casa, 
Uma presença certa nos cantos em brasa 
Uma presença irrequieta que bate as asas, 
Uma presença enigmática nos vértices da construção 
Uma presença agora estática, no canto, no chão 
Uma presença matemática somada ao pé do fogão 
— E o fogão no canto da casa. 

Existe uma presença que canta nos cantos do lar, 
Uma presença-cigarra a nos enfeitiçar, 
Uma presença-chocalho a nos afastar, 
Uma presença melódica como burburinho no bar, 
Presença-essência das coisas daqui, 
Presença esperada no canto ali, 
Presença-espada cravada no canto da casa. 

Existe uma saudade no canto da casa 
Uma promiscuidade, também nos cantos, em brasa 
Uma esperança que bate as asas 
Uma interrogação nos vértices da construção 
Uma parte de mim atirada no chão 
Um choro e um gemido de violão  
Um coro e um estalido compõem a canção 
E um tempo que corre sem direção 
Na música se finda, existindo ainda 
Mas longe daqui 
Algures na vida 
Lugares sem despedida onde o tempo é eterno.  

Existe uma presença espalhada na casa,  
Uma presença nos cantos entulhada, 
Uma presença sem fim 
Partes de mim  
A música que é minha 
Os sonhos que são meus 
Tudo, nos cantos, fugindo da luz 
Uma presença que tudo produz 
Uma presença que ninguém conheceu. 

Nos cantos da casa, eu.  

Comentários

  1. Parabéns João Sabino ! Fico muito feliz em saber que eu entregava os livros quando ainda era muito jovem, e hoje já está criando o seu. Serás um ótimo escritor !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado! Os livros que me entregava e seu apoio foram e são muito importantes para mim!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas