Pular para o conteúdo principal

A imitação de um poeta

Não sou um poeta
E te peço socorro
Não sou um poeta
Não escrevo: escorro
Não sou um poeta
Não emociono, congestiono

Sentes sono?
É que não sou um poeta,
Só mais uma alma desinquieta
Que insiste em tentar dizer
E tudo distorce sem querer

Sou a imitação de um poeta
De um poeta que só eu sei
Que mora cá dentro do peito
Sem jeito, sem esplendor

Que ele sou eu, é claro
Mas é claro que eu não o sou:
Não sou puro - a vivência me contaminou
Mas, aqui dentro, há criança pura
Que o mundo não enfeitiçou

Sou plágio de mim mesmo,
De mim, sou imitador

Comentários

Postagens mais visitadas