Pular para o conteúdo principal

Àquela mulher

Há uma mulher vestida de chita.
O que ela quer? Por que tão aflita?
Há uma mulher de cabeleira presa.
Dá para saber o porquê da tristeza?

Ah, mulher dissemelhante!
Onde se encaixa neste mundo tão errante?
Ah, mulher desinquieta!
Por que, em linhas tortas, sua vida é tão correta?

Essa mulher pariu o mundo
Essa mulher é mãe do céu
Ela vela pelo infecundo
Derrama em tudo seu mel.

Quem é ela, tão pequena?
Essa miúda, quem é?
É aquela que não condena,
Que dá motivos à fé.

Há uma mulher vestida de vida
É dona do mundo, imunda não é.

Comentários

Postagens mais visitadas