Pular para o conteúdo principal

Um Escritor Qualquer: Realidade

Um Escritor Qualquer: Realidade:


Interromperam meu sonho. Quem teve a audácia de fazê-lo? Serias tu, realidade? Não suportas minha fertilidade?
Ainda hei de te transformar. Mas assim, deixa para lá. Quero voltar a sonhar. Amanhã faço isso, mas hoje não.
Eu estava imaginando pessoas se abraçando. Não tens o direito de me negar o calor humano. Envolto de emoções, como sendo maneira de manifestações. Ai de ti se o fizer. Faço te abraçar como és. De te moldar a existência até o fim dos pés.
Amanhã trato de lidar contigo. Hoje não. Hoje eu sou sonho. Sou o desejo do fadigado. Sou a causa de quem descansa. Sou a pessoa que ama. Sou veste de esperança. O voo que te alcança. Hoje sou você disfarçado. Ocultado em pessoas de ações caladas.

Comentários

Postagens mais visitadas