Pular para o conteúdo principal

O Homem

Não sabe quem é,
Isso o mantém de pé:
Não é José nem Tomé,
Nem Joaquim nem André.
Mas é assim, de fé.

Ele entra e sai,
Vem e depois vai,
Senta, levanta...
Venta, canta...
Parece criança,
Parece que dança,
Parece que se lança
Rumo ao nada.

Uma coisa de cada vez,
Põe tudo fora do lugar:
Tu não percebes, não vês,
Mas é sua maneira de arrumar.
Seu mundo é às avessas,
Suas imaginações travessas:
Ele precisa readequar.

Então, entra e sai
(Há olhos sobre ele),
Vem e vai
(Sua sombra é de carne),
Senta e levanta 
(Sua força não espanta),
Venta, canta 
(Chora e dança). 

Já sabe quem é:
É homem de fé
(Fé no amanhã),
É homem que come em coité,
É homem de pé,
É homem - pois é.

Comentários

Postagens mais visitadas