Pular para o conteúdo principal

Saudade

Saudade é o sal que dá sabor à ausência,
É aquilo que resta daquilo que já se cumpriu,
É uma presença oculta que se anuncia,
É o adeus daquilo que de nós ainda não partiu.

Às vezes, por saudade,
Ponho-me a te procurar,
Mas sei que não vou te encontrar.
Por vezes, quando este desejo de ter e reter me invade,
Sinto como se me faltasse o ar:
A respiração continua, mas há o desejo de parar.
Porque saudade é água na boca,
Porque saudade é aperto no peito.

Que coisa é essa, assim, tão louca,
Que me faz incompleto, sem jeito?
Que coisa é essa que me faz vazio,
Não importa o quanto eu me preencha?
Que coisa é essa que me traz o frio,
Não importa o quanto o dia esquenta?

Essa “coisa” não é coisa, pois tem nome: 
Saudade, o sentimento que não some. 

Comentários

Postagens mais visitadas