Pular para o conteúdo principal

Momentos




Que vem lá?  Que vem lá?
O futuro – brinca de criar
É, de fato, prematuro – quando vejo, já nasceu.
Vem depressa, vem sem jeito, tocando o que é meu.

Que quer ele?
Quer brincar, não sei de quê
Verdadeiro trapaceiro vem correndo,
Vem fazendo toda gente sonhar!

Que vai lá?  Que vai lá?
O passado- de fininho a se afastar
Eu, de fato, não o aturo: quando vejo, já morreu.
Vai cansado, revoltado, carregado de lembranças.
Leva minhas esperanças, deixa coisas que amei.

Que quer ele?
Que o esqueça! Que não fique na promessa,
Quer que cresça! Vai-se embora,
Mas, não chora, deixa outro
Que aqui está?
O presente, no Agora residente, vem lutar.
Eu, de fato, não o vejo – esse tempo tem molejo!
Quando olho, já se foi.

Que quer ele?
Quer a vida! Quer que entre na corrida,
Quer que sinta! Acontece no momento
Aproveito, não lamento:

Ele é tempo de mudar!

Comentários

Postagens mais visitadas