Pular para o conteúdo principal

Guardei-te


A verdadeira beleza, onde reside?
Na luz dos sonhos teus,
À sombra dos atos meus.

Cada palavra tua tem a força de mil trovões:
Abrem passagem pelo infinito, rompendo limites.
Risos teus fazem com que nasçam os risos meus
Oh, menina! A você, escreveria todas as canções,
Levantaria os olhos ao mundo e o reinventaria – somente teu
Inventaria palavras novas, só tuas e, se me permitistes,
Navegaria por todo o universo em busca de teus desejos
Ah, menina, mas eu nasci humano!

Não sou Deus, para reinventar a vida
Ou poeta, para escrevê-la só para ti.
Guerreiro não nasci, viajante não cresci...
Um homem comum, sem saída
E nada mais...
Incapaz de dar nome às coisas, de calar as guerras, inaugurar a paz...
Resta-me apenas meus sonhos e meu coração – que faço de cofre:
Aqui, estás guardada, amiga – e já não sofres.

Comentários

Postagens mais visitadas